segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Concepção Existencial de Deus

Faço esse artigo, se assim posso chamá-lo, ensaiando um estudo pessoal sobre a Existência.
Não a prova final e contundente de um Deus Religioso, mas buscando uma estrutura confiável dentro da Filosofia e da Ciência para apoiar a cabeça e poder dizer que "Sou".




[...]

O livro é da Editora Paidéia que pertence a familia do autor e que não tem fins lucrativos, tem como objetivo divulgar a obra poética, filosófica e doutrinária, diponibiliza livros, artigos e palestras no site oficial da Editora, onde é possível fazer downloads de alguns livros do acervo além de outras informações interessantes como a disponibilização de bolsas de estudos para pesquisas e teses sobre o autor e sobre Allan Kardec.

Especificamente esse livro me chamou a atenção tendo em vista o momento atual, tanto no âmbito do individual quanto no coletivo.

Todo o planeta parece estar vivendo um grande momento de crise, por todos os lados em todos os Estados, Municípios, Países e povoados, surge nas manchetes com algum tipo de "sacudida", "abalo" ou "chamamento", seja à caridade, a solidariedade, alteridade ou altruísmo. Não importa! O notório é que também há os abalos íntimos e pessoais, mostrados nas manchetes de todos os dias: aqueles que levam mães a sufocar filhos, mulheres a calarem seus maridos, maridos que decidem sobre a existência de suas esposas, desconhecidos que se antipatizam e se descartam como lixos...

E os infortúnios ocultos?
Aqueles que cada um em sua solidão intima e pessoal remoem diariamente em convulsão silenciosa?

O Deus religioso, das procissões e das promessas onde está?

Definitivamente não sou ateia, tenho certeza intima da Existência de Deus, mas esse Deus nada tem de Pai Bondoso e solicito, é um Principio, é a Causa Primeira de todas as coisas e eu o vejo, vislumbro, exatamente pela Filosofia e pela Ciência.

Tal qual como J. Herculano Pires penso que permitir adulterações a obra de Kardec, bem como permitir que distorções se instalem dentro das intuições e da filosofia espírita é seguir o mesmo caminho do Cristianismo Ateu, da Teologia Radial, de todas as religiões do mundo.

No Livro a que me refiro, Herculano faz uma viagem por sobre o Tempo e de forma muito clara, um tanto rígida, e talvez até certo ponto - prepotente, mas lúcida e coerente, nos dá uma imagem do Deus Existente embutido em tudo que diz respeito ao homem e ao que não é do homem.

Todos que falaram sobre esse livro centraram-se na base de que o autor sustentou a hipótese da existência de Deus ancorada em nossa consciência, e mais que isso eu vi como um processo dialético entre razão e fé, entre o que é Verdade e o quê é fantasia da criação humana na tentativa de transforma Deus em algo manipulável e assim sendo obter poder sobre os humildes e fracos.

Nos seus 13 capítulos o autor discorre sobre o processo de entendimento da concepção de Deus dentre os principais pensadores da história humana, esse paralelo é a luz que intimamente precisamos para entender o mundo a nossa volta e o mundo particular e íntimos de cada um de nós.

Não está nos dogmas, nos ritos, nas promessas ou nas procissões, não está nos altares, nem nas encruzilhadas, mas na gênese da consciência humana que só se desenvolve, como ele assim escreve, quando da evolução geral, no desenvolvimento de nossas potencialidades quanto ao saber pensar, a impotência de nossa razão atual ainda nos leva a um conceito existencial materialista onde sem o Deus antropomórfico e as imagens dos santos ficamos como órfãos.
Deus existe não na realidade dos místicos, mas na realidade diária do Universo, nas deduções lógicas, nas descobertas científicas e nas experiências vividas de cada um em seu mundo pessoal e isso não é apenas consciencial é empírico quando fizemos da vida, de nós seres "Existentes", o eu "Sou", ou seja, transformamos a frase tão explorada do: "O homem a imagem e semelhança de Deus" em fato concreto - fizemos acontecer! Movimentamos os recursos naturais e possíveis de nosso meio em fonte potencial de sadio entendimento sobre o que é verdade, de quem somos nesse momento atual, do que desejamos ser, para onde queremos ir, em suma quem eu "Sou", sairmos da concepção do desejo imediato de nossas vontades adolescentes e crescer para a nova posição dentro da humanidade, agora como adultos que pelo exemplo e vivência se dá o luxo de errar, mas não mais ser o rebelde sem causa, e sim aquele que tem os pés no chão mas ciente de sua herança cósmica e extrafísica.

Para quem quiser saber mais veja: www.editorapaideia.com.br
Essa uma opinião pessoal sem interesse fundamentalista religioso, é um estudo pessoal em busca de mim mesma.





seja o primeiro a comentar!

Design by Sala de Costura ^
BlogBlogs.Com.Br